Como Determinar O Que É ou Não É Doutrina Oficial da Igreja? | Intérprete Nefita

Como Determinar O Que É ou Não É Doutrina Oficial da Igreja?


Por Luiz Botelho 28 de Julho de 2018
Como Determinar O Que É ou Não É Doutrina Oficial da Igreja?

PERGUNTA:

Quando líderes da Igreja se posicionam sobre algum ensinamento, quais são os critérios que devemos utilizar para diferenciarmos o que constitui uma opinião pessoal de uma doutrina oficial da Igreja?

RESPOSTA:

Olá,

Essa sem dúvida é uma excelente questão. O primeiro passo necessário é definir o significado da palavra "doutrina" de acordo com as duas situações mais comuns em que ela é utilizada.

Na primeira e mais flexível definição, a palavra "doutrina" é utilizada meramente para descrever algum princípio ou ensinamento de natureza teológica proferida por algum líder da Igreja, mesmo que tal visão seja uma perspectiva pessoal, não proveniente de revelação e que em alguns casos o tempo pode demonstrar estar incorreta.  

Em uma visão mais objetiva, entretanto, "doutrina" constitui uma verdade estabelecida do Evangelho, seja ela oficializada pela Igreja ou não. Em outras palavras, tudo o que é "oficial" é considerado pela Igreja como uma verdade estabelecida e revelada, mas nem tudo o que é uma verdade do Evangelho é necessariamente considerado oficial. 

Isso acontece porque a Igreja possui um método específico para determinar se um ensinamento, livro, publicação ou artigo é uma verdade estabelecida ou perspectiva que pode estar certa ou errada.

A Primeira Presidência recentemente publicou em um de seus sites oficiais um comunicado, que declara:

"Nem toda declaração feita por um líder da Igreja, passado ou presente, necessariamente constitui doutrina. Uma declaração específica feita por um líder específico em uma ocasião em particular frequentemente representa uma opinião pessoal, embora bem considerada, mas não tem como objetivo ser oficial para toda a Igreja. Com inspiração divina, a Primeira Presidência, (...) e o Quórum dos Doze Apóstolos se aconselham juntos para estabelecer doutrina que é consistentemente proclamada em publicações oficiais da Igreja."[1]

A Igreja em seguida definiu:

"Esta doutrina reside nas quatro "obras-padrão" das escrituras (Bíblia Sagrada, O Livro de Mórmon, Doutrina e Convênios e A Pérola de Grande Valor), declarações oficiais e proclamações e as Regras de Fé. Textos isolados são frequentemente tirados de contexto, o que distorce seu significado original."[1]

Em outras palavras, para que um ensinamento seja considerado doutrina oficial ele precisa obter o consenso que provém da inspiração e confirmação de todo o corpo governante da Igreja (Primeira Presidência e Quórum dos Doze) e essa confirmação atualmente é restrita unicamente às escrituras canonizadas, proclamações, declarações oficiais e Regras de Fé. Ponto final. 

O Elder Neil Andersen acrescentou:

"A doutrina [oficial] da Igreja é ensinada por todos os 15 membros da Primeira Presidência e Quórum dos Doze. Ela não está escondida em um parágrafo obscuro de um discurso. Princípios verdadeiros são ensinados frequentemente e por muitos. Nossa doutrina não é difícil de encontrar."[2]

Exemplos e Casos a Considerar Sob a Luz dos Parâmetros Definidos pela Igreja:

1. Um livro de autoria de qualquer líder da Igreja, seja ele um Presidente ou Apóstolo, não constitui doutrina oficial porque não faz parte da seleta lista de obras-padrão da Igreja.

2. Algumas doutrinas são fundamentais e imutáveis, como a Expiação, natureza de Deus, progresso eterno, identidade divina, etc. Outras doutrinas são de natureza mutável, podendo ser uma prática aprovada em determinada circunstância e não aprovada em outras ocasiões, como a Lei Mosaica, Lei da Consagração, Casamento Plural, etc. Doutrinas mutáveis geralmente possuem um objetivo específico em um momento específico, podendo elas serem estabelecidas ou revogadas de acordo com a necessidade.

3. Uma obra ser oficial não a isenta totalmente de erros. A Igreja reconheceu isso, por exemplo, ao citar em uma das Regras de Fé de que "cremos ser a Bíblia a palavra de Deus, desde que esteja traduzida corretamente." 

4. Uma informação de natureza doutrinária publicada em um canal oficial da Igreja é precisa no quesito "autenticidade", porque sua fonte é oficial e documentada, mas não necessariamente constitui "doutrina oficial" de acordo com os parâmetros definidos pela Igreja.

5. Não ser oficial não é sinônimo de ser falso, mas simplesmente significa que a informação não foi dada a conhecer por revelação e aprovada pela Primeira Presidência e Quórum dos Doze. Nessa hora é essencial que membros da Igreja utilizem bom senso, estudo e ponderação para analisar uma informação e determinar sua validade.

O projeto FairMormon Brasil publicou um podcast excelente com mais perspectivas sobre o assunto, que pode ser acessado clicando aqui.

Luiz Botelho
Intérprete Nefita

Referências:

[1] Mormonnewsroom, "Approaching Mormon Doctrine"; May 4th 2007.
[2] Neil Andersen; General Conference, October 2012.

 



COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

© 2019 Intérprete Nefita. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Prudente Empresas