E Se Deus Houvesse Prevenido de Antemão a Rebelião de Satanás? | Intérprete Nefita

E Se Deus Houvesse Prevenido de Antemão a Rebelião de Satanás?


Por Luiz Botelho 03 de Setembro de 2018
E Se Deus Houvesse Prevenido de Antemão a Rebelião de Satanás?

PERGUNTA:

Sabemos que no Conselho dos Céus a rebelião de Satanás incitou a dissidência de bilhões de espíritos, que desde então influenciam a humanidade para o mal. Como seria o Plano de Salvação se tal rebelião jamais houvesse ocorrido?

RESPOSTA:

Já imaginou como a mortalidade seria se sofrêssemos zero influência de Satanás e demais filhos decaídos que se rebelaram no Conselho dos Céus?

Antes de tudo, é importante enfatizar que não é possível estabelecer de forma objetiva o que teria acontecido se uma rebelião por parte de Satanás jamais tivesse ocorrido. O que é possível, entretanto, é explorar o entendimento de alguns pontos essenciais do Evangelho a fim de entender certos aspectos do Plano de Salvação. Alguns pontos a considerar:

1. Oposição é necessária e precisaria acontecer com ou sem Satanás.

2 Néfi 2:11 ensina afirma que "é necessário que haja uma oposição em todas as coisas" e que sem ela todas as coisas "deveriam permanecer como mortas, não tendo vida nem morte, nem corrupção nem incorrupção, nem felicidade nem miséria, nem sensibilidade nem insensibilidade."

Tal versículo nos relembra que oposição não apenas é necessária ao Plano de Salvação, mas um aspecto essencial do universo e percepção de sentimentos positivos e negativos. Se Satanás não houvesse se rebelado, o mais provável é que um outro espírito tão ou mais iníquo que ele assumisse o posto. De fato, bilhões de espíritos o seguiram. 

E se ninguém houvesse se rebelado? Nesse cenário podemos refletir sobre duas possibilidades:

A. Talvez um espírito designado por Deus agiria como "opositor". Não necessariamente nos induzindo ao mal, mas colocando escolhas em nosso caminho.

B. O mal continuaria a existir de maneira similar ao que conhecemos no mundo, pois a raça humana é decaída e "inimiga de Deus"(Mosias 3:19) e não necessariamente necessita de uma influência externa para praticar o mal.

2. Satanás não é a personificação do mal. Ele é produto do mal.

A existência da oposição nos fundamentos do universo é o que permite que seres inteligentes sejam capazes de escolher o mal. Sem Satanás, o mal ainda existiria porque foi a existência de uma posição opositora e do arbítrio que permitiu, antes de tudo, que Satanás se rebelasse.

Como Leí ensinou, não seríamos capazes de conceitualizar estados de alegria, tristeza e bem ou mal se não fôssemos expostos a ambos os lados da moeda.

3. Satanás não é o ser mais iníquo existente

Por mais nefasto e iníquo que o autor da primeira rebelião deste Plano de Salvação seja, é importante mencionar que as escrituras indicam que sim, há pessoas piores do que ele.

D&C 123:10 ao se referir sobre os atos de alguns homens declara:

"Atos esses, tenebrosos e difamadores, suficientes para fazer com que o próprio inferno estremeça, aterrorizado e pálido; e com que tremam e fiquem paralisadas as mãos do próprio diabo."

Quem quer que sejam esses homens e mulheres que decaíram a um estado irreversível de maldade, a realidade é que o próprio Satanás e forças do inferno parecem se amedrontar de quão iníquo tais seres são, o que sugere que seus atos são frutos de sua própria iniquidade, independente de qualquer rebelião ocorrida no passado.

Conclusão

Dessa forma, é improvável que o Plano de Salvação fôsse muito diferente do que é caso uma rebelião inicial jamais houvesse ocorrido. Tal plano arquitetado pelos deuses não pode depender de uma rebelião espontânea a cada vez que é executado, e embora a oposição em si seja sempre necessária, todos somos capazes de praticar o mal caso nos afastemos de princípios de justiça e amor. 



COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

© 2019 Intérprete Nefita. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Prudente Empresas