Por Que a Expiação Foi Realizada Nesta Terra? | Intérprete Nefita
Logo

Por Que a Expiação Foi Realizada Nesta Terra?

Por Que a Expiação Foi Realizada Nesta Terra?

Pergunta:

Se Deus criou muitos mundos, por que esta terra foi escolhida como o local onde a expiação seria executada? 
 


Resposta:

Olá,

A questão é realmente fascinante e demonstra que apesar de ser apenas mais uma terra, há um elemento doutrinariamente essencial que diferencia o planeta em que vivemos de todos os demais mundos criados. Moisés 7:30 nos dá uma pequena noção da grandiosidade da obra de criação ao afirmar:

"E se fosse possível ao homem contar as partículas da Terra, sim, de milhões de terras como esta, não seria sequer o princípio do número de tuas criações"

Apesar de não haver uma resposta revelada e oficial, as escrituras fornecem detalhes que nos apontam uma direção plausível: INIQUIDADE.

Moisés 7:36 começa a delinear a resposta ao declarar:

"Portanto, posso estender minhas mãos e segurar todas as criações minhas; e meus olhos podem trespassá-las também e, entre todas as obras de minhas mãos, jamais houve tanta maldade como entre teus irmãos."

Joseph Fielding Smith ao se referir ao assunto afirmou:

"Sua presença foi necessária aqui por causa da extrema iniquidade dos habitantes desta terra."[1]

A direção da resposta começa a ficar mais clara ao analisarmos outros pontos mencionados nas escrituras. 2 Néfi 10:3 declara:

"Portanto, como vos disse, é necessário que Cristo... venha aos judeus, aos que são a parte mais iníqua do mundo, e eles o crucificarão — pois assim deseja nosso Deus; e nenhuma outra nação na Terra crucificaria seu Deus."

Dessa forma, as escrituras parecem indicar duas tristes verdades sobre nosso mundo:

1. Dentre todos os mundos criados, este é o mais iníquo.
2. Nenhuma outra nação — mesmo no mundo mais iníquo — crucificaria seu Deus.

Ao entender estes pontos a direção parece evidente... Talvez a razão pelo qual Cristo foi enviado a este mundo para seu ministério mortal se resuma ao fato de que sua missão exigia que ele fosse crucificado e rejeitado, tornando-se assim um mártir, ato este que nenhuma outra terra e seus habitantes o teriam feito, por serem mais justos do que os habitantes desta terra. 

O Elder Joseph Fielding Smith comentou estes pontos ao afirmar:

"Talvez essa seja a razão pelo qual Jesus Cristo foi enviado a este mundo ao invés de algum outro mundo, pois em algum outro mundo eles não O teriam crucificado."[2]

Dessa forma, sendo a Expiação o ponto central no qual todos os fundamentos do Plano de Salvação está fundamentado, Cristo foi enviado a este mundo por ser este o único iníquo o suficiente para que indivíduos presenciassem atos sublimes de amor, demonstrações de poder, milagres a olho nú e ainda assim, decidissem não apenas rejeitá-Lo mas perseguí-Lo e crucificá-Lo. Tad Callister (que serviu na Presidência dos Setenta) compartilhou, entretanto, reflexões que nos indicam que há igualmente elementos positivos e únicos sobre muitos dos habitantes desta terra, que criam uma espécie de "equilíbrio" com a extrema iniquidade e oposição presenciada em nosso mundo. 

"Tal clima de contrastes parecia 'amadurecer' o mundo para a chegada do Salvador. Haveria zombação, insultos, descrença e finalmente, a crucificação. Por outro lado, haveria devoção implacável, fé, entendimento, e apreciação entre alguns humildades. A nação de Israel estava simultaneamente experimentando as profundezas da iniquidade e altitude da retidão. A Expiação do Salvador seria mal compreendida, e ainda assim compreendida, pouco apreciada, e ainda assim apreciada, pelos extremos nessa divergência espiritual... Este era um planeta o qual a Expiação poderia ser simultaneamente presenciada, e então rejeitada ou abraçada por uma amostra compreensiva da raça universal, e talvez por essa razão, este planeta tornou-se o palco de teste escolhido."[3] 

Abraço,

Intérprete Nefita

Referências:

[1] Smith, Signs of the Times, 10
[2] Ibid., 10
[3] Callister, Tad. The Infinite Atonement, 93