Que Evidências Apoiam a Existência do Idioma Egípcio Reformado? | Intérprete Nefita
Logo

Que Evidências Apoiam a Existência do Idioma Egípcio Reformado?

Que Evidências Apoiam a Existência do Idioma Egípcio Reformado?

Pergunta:

O Livro de Mórmon menciona "Egípcio Reformado" como o idioma utilizado na produção e transcrição das placas. Por que então nenhum outro escrito menciona a existência do idioma "Egípcio Reformado"? Que evidências existem de que esse idioma realmente existiu?

Pedro, Ceará
 


Resposta:

Olá Pedro,

A questão de fato é interessante, mas apesar de ser utilizada frequentemente por críticos da Igreja no ataque ao Livro de Mórmon, ela não realmente apresenta real desafio à autenticidade do Livro de Mórmon como escritura sagrada.

Em 1 Néfi 1:2, Néfi inicia seu registro e declara que o fazia na linguagem de seu pai, que consistia "no conhecimento dos judeus e na língua dos egípcios". Sendo Leí e sua família Judeus, por que utilizariam eles o idioma Egípcio, e não Hebraico ao escrever nas placas do que posteriormente seria O Livro de Mórmon? Mórmon 9:33 fornece a resposta:

"E se nossas placas tivessem sido suficientemente grandes, teríamos escrito em hebraico; mas o hebraico também foi alterado por nós; e se tivéssemos escrito em hebraico, eis que nenhuma imperfeição encontraríeis em nosso registro."

Em outras palavras, escrever os registros no idioma Egípcio fornecia um uso muito mais significativo do espaço das placas, visto que a escrita egípcia é mais compacta. Morôni torna claro que "Egípcio Reformado" (que não é um título, mas uma descrição) foi o nome dado pelos Nefitas a uma forma escrita alterada no decorrer de mil anos, baseada na modificação do idioma Egípcio original (Mórmon 9:32). Dessa forma, é natural que o termo jamais seja encontrado em outro local a não ser no Livro de Mórmon.

É importante notar que Leí e seus descendentes não foram os primeiros a promoverem alterações no idioma Egípcio. Tal idioma contém 3 formas escritas fundamentais, sendo elas hieroglífos, hierático e demótico, sendo o primeiro a forma original e os demais formas "alteradas" ou "reformadas" do original.[1] Um exemplo de como "Egípcio Reformado" foi utilizado séculos antes de Leí se encontra no documento denominado "Papyrus Amherst 63" (ver imagem do artigo), em que Israelitas utilizaram caracteres Egípcios em meio ao texto Hebraico em uma transcrição do texto de Salmos 20:2-6 que foi escrito no idioma de Cristo, Aramaico.[2]

Dessa forma, a utilização do idioma Egípicio na transcrição das placas não apenas não representa objeção real à veracidade do Livro de Mórmon, como está em harmonia com a utilização do idioma nos séculos que precederam Leí como demonstrado por papiros como o Papyrus Amherst 63.

Abraço,

Intérprete Nefita

Referências

[1] William J. Hamblin, "Reformed Egyptian," FARMS Review 19/1 (2007): 31–35
[2] John Gee and John A. Tvedtnes, "Ancient Manuscripts Fit Book of Mormon Pattern," Insights 19:2 (February 1999): 4–5.