6 Fatos Incríveis Sobre a Doutrina da Ressurreição - Doutrinas do Evangelho | Intérprete Nefita

6 Fatos Incríveis Sobre a Doutrina da Ressurreição

Entendendo diferentes aspectos do dia em que toda a vida ressurgirá


Por Luiz Botelho 03 de Abril de 2021
6 Fatos Incríveis Sobre a Doutrina da Ressurreição

Anualmente, o mês de Abril é marcado pela Conferência Geral de líderes da Igreja Mórmon e pela celebração da Páscoa cristã em lembrança da ressurreição de Jesus Cristo. A doutrina da ressurreição é a primeira vista bem simples. Cristo foi morto, ressuscitou na manhã do terceiro dia e tornou assim possível a esperança de ressurreição para todos nós. Nada complexo não é? Por essa perspectiva talvez não. O conceito da ressurreição quando analisado de maneira mais minuciosa, entretanto, revela questões interessantes e intrigantes a respeito dos mecanismos e implicações do evento.

Listamos abaixo 6 pontos interessantes a se refletir sobre a doutrina da ressurreição:

1. Ressurgiremos com o mesmo corpo da mortalidade?

 

A resposta para essa pergunta é relativa e depende objetivamente do que possuímos em mente com as palavras “mesmo corpo.” Se tivermos em mente a definição de “mesmo corpo” como literalmente a mesma matéria que compôs nosso corpo durante a mortalidade, a resposta é absolutamente negativa. Toda a matéria de nosso corpo é substituída no nível atômico e celular todos os dias, de maneira que praticamente todas as formas de vida estão de certa forma constantemente perdendo, ganhando e trocando matéria entre si.

Ao nos alimentarmos de carne bovina, por exemplo, integramos ao nosso corpo uma infinidade de átomos que previamente fizeram parte do corpo de outros seres vivos. Ao morrermos, retornamos ao solo, e cedo ou tarde, a matéria que compora nosso corpo fará parte de outras formas de vida, seguindo o princípio científico básico de que no universo nada se perde ou ganha, mas tudo se transforma.

Em outras palavras, ressuscitar com o “mesmo corpo” é provavelmente uma indicação de nossa aparência física durante a mortalidade, embora ainda assim não seja uma indicação literal. Por que não literal? Por que embora algumas passagens das escrituras como D&C 88:28 indiquem que ao menos os seres celestiais ressurgirão com o “mesmo corpo que era um corpo natural,” outras passagens, por outro lado, indicam que corpos ressurretos sofrerão também algumas mudanças físicas. Um corpo ressurreto é imortal (Alma 11:45), perfeito (Alma 11:43), belo[1], glorioso[2] e desprovido de qualquer imperfeição mortal (Apocalipse 21:4).

Por essa razão, doação de órgãos, cremação ou qualquer ação de qualquer natureza sofrida por nossos corpos possuem relevância zero no evento da ressurreição.

2. Idade do corpo ressuscitado

 

A aparência de um corpo ressuscitado no que diz respeito à idade é evidenciada por diferentes declarações de líderes da Igreja. Joseph Fielding Smith sobre a aparência física de indivíduos adultos declarou:

“Temos razões para acreditar que a aparência da idade avançada desaparecerá e o corpo será restaurado com o completo vigor da masculinidade e feminilidade. Crianças ressurgirão como crianças, porque não há crescimento na sepultura. Crianças continuarão a crescer até que alcancem a completa estatura de seus espíritos. [3]

O Elder Oaks reforçou este ponto ao afirmar:

“Que grande consolo é saber que todos os que sofreram na vida com defeitos congênitos, lesões fatais, enfermidades ou com o definhamento natural da idade avançada serão ressuscitados em sua ‘própria e perfeita estrutura’.”[4]

3. A Expiação porporcionará a ressurreição de todas as formas de vida já criadas

 

A Expiação de Cristo possui tanto um efeito “salvador” como “redentor”. Entretanto, por não possuírem conhecimento do bem e do mal, animais são incapazes de se arrependerem ou cometerem pecados, e portanto, não necessitam de redenção da morte espiritual. Estão no entanto sujeitos à morte física o qual somente pode ser vencida através do poder da Expiação de Jesus Cristo. O Presidente Joseph Fielding Smith se referindo a isso declarou:

“É uma noção muito inconsistente apoiada por alguns, que a ressurreição virá unicamente a almas humanas, que animais e plantas não possuem espíritos e portanto não serão salvos pelo sacrifício do Filho de Deus, e portanto, que não estão designados à ressurreição.”[5]

O Presidente Joseph Fielding Smith sobre este fato ensinou:

“Toda criatura na terra, seja homem, animal, peixe ou outra criatura que o Senhora tenha criado, está redimida da morte nos mesmos termos em que o homem está redimido(…) eles estão designados para suas redenções e eterna duração.”[6]

Bruce R. McConkie atestou esse fato afirmando que “nada é mais absolutamente universal do que a ressurreição” e que “todo ser vivente será ressuscitado”[7]; e assim “todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo.”[8]

4. O tipo de corpo ressurgido refletirá o reino de glória que herdaremos

 

Outro ponto no mínimo curioso em relação à ressurreição é o fato de que nossos corpos ressuscitados nos “julgarão,” sendo um indicativo de que grau de glória herdaremos no dia do julgamento. [9] D&C 88: 28 evidencia este princípio ao afirmar que “recebereis vosso corpo e vossa glória será a glória pela qual vosso corpo é vivificado. Vós, que fordes vivificados por uma porção da glória celestial, recebereis sua plenitude. E aqueles que forem vivificados por uma porção da glória terrestre receberão sua plenitude. E também aqueles que forem vivificados por uma porção da glória telestial receberão sua plenitude.”

5. Ressurreição dos Filhos de Perdição

 

As escrituras e profetas antigos e modernos são claros ao ensinar que todos os mortais, sem exceção, serão ressuscitados e se apresentarão para serem julgados. A diferença é que os filhos de perdição ressurgirão com corpos não glorificados.[10]

O destino final dos espíritos e corpos ressuscitados dos Filhos de Perdição, entretanto, não é exatamente claro e a Igreja não possui posição oficial sobre o assunto. Com relação ao tema, ao menos duas perspectivas diferentes já foram compartilhadas por líderes da Igreja, sendo uma a ideia de que Filhos de Perdição “reinarão” nas Trevas Exteriores com seus corpos ressuscitados,[11] enquanto outra ensina que após julgados, os Filhos de Perdição terão seus corpos físicos e espirituais decompostos e desorganizados, perdendo assim sua identidade como se jamais houvessem existido.[12]

Um artigo completo sobre o destino dos Filhos de Perdição pode ser encontrado clicando aqui.

6. A Ressurreição é uma ordenança e exige chaves

 

Outro conceito surpreendente ensinado por diversos líderes da Igreja a respeito do assunto se refere ao fato de a ressurreição não apenas ser um evento, mas uma ordenança do Evangelho que consequentemente precisa ser realizada com chaves do sacerdócio que ainda não estão disponíveis nessa vida. [13] Brigham Young proveu um contexto maior sobre o tópico, ensinando que seres ressurretos serão ordenados por aqueles que possuem as chaves da ressurreição a ressuscitarem seus familiares e demais santos, evento este que ocorrerá em uma cadeia exponencial, até que todos os mortais tenham em fim ressurgido. [14]

Conclusão

Embora a ressurreição de Cristo seja um dos elementos mais importantes de toda a história do Cristianismo e do mundo, por mais de dois mil anos críticos tem negado sua realidade e em muitos casos atribuído outros significados para este evento. Tais pessoas um dia sentirão o profundo pesar de seus pecados, desejarão refazer más escolhas do passado e sentirão o amargo sabor de perder pessoas que amam. Naquele dia, entenderão porque precisam de um Salvador.

Que tal época jamais seja lembrada por coelhos ou ovos de chocolate mas pela tumba vazia, o amanhecer glorioso e a esperança de redenção para todos nós.

Referências:

[1] Lorenzo Snow, The Teachings of Lorenzo Snow, ed. Clyde J. Williams (1996), 99.
[2] Boyd K. Packer, “The 20-Mark Note,” Liahona, June 2009, 23; New Era, June 2009, 5.
[3] Gospel Doctrine, p. 23-24
[4] Dallin H. Oaks, Ressurreição, Conferência Geral de Abril de 2000.
[5] Smith, Answers to Gospel Questions, 5:7
[6] Joseph Fielding Smith, Doutrinas de Salvação, 2:281
[7] Bruce R. McConkie, “Resurrection,” Mormon Doctrine, 637–643
[8] 1 Coríntios 15:22
[9] Callister, Douglas L., Resurrection, Encyclopedia of Mormonism, 1992.
[10] TPJS, p. 361
[11] Manual do Instituto – Doutrina e Convênios; D&C 76:44
[12]  Journal of Discourses 7:57 p.58, Brigham Young, June 27, 1858; 2 Néfi 1:22
[13]  Spencer W. Kimball, “Our Great Potential”, Ensign, maio de 1977, p. 49.
[14] Brigham Young, “Increase of Saints Since Joseph Smith’s Death, etc.”, Aug. 24, 1872, Journal of Discourses 15:137.



COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Mais de Doutrinas do Evangelho
6 Fatos Incríveis Sobre a Doutrina da Ressurreição

6 Fatos Incríveis Sobre a Doutrina da Ressurreição

Entendendo diferentes aspectos do dia em que toda a vida ressurgirá

Como Saber se é Verdade?

Como Saber se é Verdade?

Uma reflexão instrutiva sobre nossa busca pela verdade.

A Árvore do Conhecimento e a 2º Lei da Termodinâmica

A Árvore do Conhecimento e a 2º Lei da Termodinâmica

Uma análise de como o princípio da entropia permeia todos os aspectos do universo físico e espiritual.

O Ciclo da Propagação Ondular da Pura Alegria

O Ciclo da Propagação Ondular da Pura Alegria

Uma análise da experiência vivida por Amon, o rei Lamôni e integrantes de sua corte e sua relação com uma conversão verdadeira e a pregação do evangelho.

Arbítrio, Onisciência e a Teoria do Caos

Arbítrio, Onisciência e a Teoria do Caos

Entendendo a matemática utilizada por Deus na construção do universo e realidade.

Os Blocos de Edificação do Universo

Os Blocos de Edificação do Universo

O Evangelho de Jesus Cristo no Nível Subatômico.

4 Evidências Filosóficas de Que Deus Existe

4 Evidências Filosóficas de Que Deus Existe

Analisamos nesse artigo a estrutura de quatro argumentos que indicam que sim, Deus existe.

Tempo, Espaço e o Infinito Mensurável

Tempo, Espaço e o Infinito Mensurável

O debate a cerca da existência de um Deus tem por muitos séculos estado no centro das reflexões filosóficas e moldado consequentemente o próprio desenvolvimento da humanidade em todos os aspectos.

Animais e o Plano de Salvação

Animais e o Plano de Salvação

Uma das questões frequentemente levantadas a cerca da aplicação das leis do Plano de Salvação diz respeito ao propósito e destino eterno da vida animal criada por Deus.

Mórmons, Macacos e a Teoria da Evolução

Mórmons, Macacos e a Teoria da Evolução

Dentre as inúmeras características humanas que nos distinguem das demais formas de vida existente em nosso planeta se destaca a capacidade do homem de questionar a própria origem, propósito e existência.

Filhos de Perdição - Natureza e Destino

Filhos de Perdição - Natureza e Destino

Dentre os assuntos mais obscuros e que despertam em muitos a curiosidade em relação à doutrina de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Ele Ressuscitou

Ele Ressuscitou

Ao nos aproximarmos da celebração da Páscoa recordamos a vida do Salvador Jesus Cristo, sua expiação, morte e ressurreição ao terceiro dia. A Páscoa nos tempos antigos comemorava a ocasião em que os filhos de Israel foram libertados da escravidão no Egito, enquanto no novo testamento comemora a missão cumprida de Cristo e sua vitória sobre a morte.

Negros e Pele Escura nas Escrituras

Negros e Pele Escura nas Escrituras

Um dos conceitos amplamente presentes no relato histórico do Livro de Mórmon é a separação física e espiritual da nação Nefita em relação à Lamanita.

14 Questões Respondidas Sobre Selamento no Templo

14 Questões Respondidas Sobre Selamento no Templo

Uma das maiores bençãos que o Evangelho restaurado proporciona é a esperança de assegurarmos para toda a eternidade a unidade familiar por meio do selamento nos Templos. 

E Se Jesus Não Houvesse Realizado a Expiação?

E Se Jesus Não Houvesse Realizado a Expiação?

Uma das melhores formas de compreender a necessidade da expiação é imaginar como o mundo seria sem ela

Caim - Maldição, Marca e Mitos

Caim - Maldição, Marca e Mitos

A ideia de que Caim permanece vivo até hoje é um dos maiores mitos na Igreja e também um dos mais incompreensíveis.

Mórmons, Negros e o Sacerdócio

Mórmons, Negros e o Sacerdócio

Com uma ampla variedade de culturas, raças, nacionalidades e classes sociais, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias atualmente ensina que toda a família humana provém de Pais Celestiais que os amam e se importam com cada um de Seus filhos.

A Guerra nos Céus e o Plano de Lúcifer

A Guerra nos Céus e o Plano de Lúcifer

Ao estudarmos a doutrina da vida pré-mortal, temos a oportunidade de entender pontos cruciais sobre nossa origem e possivelmente a primeira grande escolha que tivemos que fazer em nossa existência até então, apoiar ou rejeitar o plano de Deus para seus filhos. 

Um Estudo dos Ensinamentos Históricos Sobre a Mãe Celestial

Um Estudo dos Ensinamentos Históricos Sobre a Mãe Celestial

Entenda quais são as verdades, mitos e principais referências a respeito deste que é um dos pilares mais fundamentais do Evangelho.

© 2021 Intérprete Nefita. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Prudente Empresas